alimentação idosos

Qualidade de vida na alimentação da melhor idade.

O envelhecimento populacional cresce em todo o mundo. No Brasil as projeções para 2020 sugerem uma população de 32 milhões de idosos.

Com isso, valorizar os cuidados com a saúde é fundamental para chegar à melhor idade com qualidade de vida.

O passar do tempo faz com que nosso organismo comece a gastar menos calorias enquanto a gordura corporal sofre um considerável aumento e perdemos massa muscular na mesma proporção.

Nos idosos o gasto de energia reduz cerca de 10% a cada década e com a diminuição da massa muscular, se a alimentação não for controlada pode acarretar em obesidade.

Todos os esforços com alimentação e exercícios físicos que antes traziam um bom resultado começam a não fazer mais o mesmo efeito. Dessa forma, para amenizar e equilibrar as transformações que acontecem em nosso corpo e organismo, devido o avanço da idade, é importante adequar nossa alimentação.

Com uma dieta balanceada e dividida em cinco ou seis refeições diárias, aliada a uma rotina de exercícios, adequados para cada idade, é possível envelhecer de maneira saudável.

ALIMENTAÇÃO

As necessidades alimentares das pessoas que já alcançaram a melhor idade são bem similares as dos demais adultos. A diferença está na capacidade de absorção de certos nutrientes que fica menos eficaz.

Uma das primeiras atitudes é reduzir o consumo de açúcar e sal para prevenir ou tratar doenças como o diabetes e a pressão alta. Nestes casos, a troca do açúcar por adoçantes é uma boa opção e os a base de sucralose apresentam melhor sabor e não tem contra indicações.

O paladar e o olfato também já não têm a mesma eficiência e isto leva muitos idosos a terem uma alimentação pouco variada baseada em chás, leite, pão e biscoitos. Justamente essa troca de refeições por lanches rápidos é uma coisa que deve ser acompanhada com bastante atenção para que não ocorra uma deficiência dos nutrientes necessários.

A falta de dentes ou próteses mal adequadas também são outros problemas que podem fazer com que os idosos optem pelos alimentos mais fáceis de serem ingeridos como as sopas e os purês e passem a evitar completamente as carnes o que é um grave erro.

As proteínas são ótimas no combate à perda de massa muscular. As melhores fontes são as carnes brancas, leites e derivados, queijos magros e grãos como feijão, grão de bico, lentilha, ervilha e soja.

A prisão de ventre também é bem comum para essa faixa etária, por isso o consumo de alimentos ricos em fibras deve ser constante. Frutas, legumes, verduras e grãos integrais como arroz, pães e barras de cereais devem fazer parte da alimentação diária.

Outro fator importante é a hidratação. Nessa fase da vida, a salivação é reduzida, a prisão de ventre é mais frequente e o ressecamento da pele aumenta. Por isso o consumo de água deve ser cerca de 30ml de água por quilo por dia.

O consumo de alimentos gordurosos deve ser reduzido, pois ocorre dificuldade na digestão devido à diminuição da produção de ácidos pelo estômago e das enzimas digestivas.

Alguns nutrientes são imprescindíveis e a sua reposição requerem atenção uma vez que com a renovação lenta das células do intestino ocorre menor absorção. São eles: cálcio, ferro, zinco, a vitamina A, C, D e vitaminas do complexo B que podem ser encontrados nos alimentos a seguir:

- Cálcio: queijo, leite e derivados;
- Ferro: carne, fígado, folhas verdes escuras, grãos como feijão, ervilha, lentilha, soja e grão de bico;
- Zinco: ostras, camarão, carne, fígado, gérmen de trigo, cereais integrais e castanhas;
- Vitamina A: fígado, gema de ovo, leite, manteiga, atum, queijo, frutas e hortaliças amarelas e vermelhas;
- Vitamina C: laranja, limão, acerola, goiaba, morango, brócolis, repolho e espinafre;
- Vitamina D: óleos de fígado de peixe e os peixes de água salgada como sardinha, arenque, salmão e sarda. Entretanto, nada dispensa a exposição ao sol;
- Vitaminas do complexo B: carnes, cereais, nozes e leite.

Alimentação na terceira idade.

Com a chegada da terceira idade, a partir dos 65 anos, as estruturas orgânicas e a sua atividade, bem como a construção estrutural e biológica do indivíduo entram em perda, não superando os ritmos de destruição e de debilidade funcional. Os fatores mais comuns de envelhecimento são: genéticos, ambientais (nutricionais) e de estilo de vida. Por isso é fundamental manter uma alimentação equilibrada nesta fase da vida, que tem como objetivo principal prolongar a vida e impedir doenças.

A alimentação na terceira idade dever ser composta da seguinte maneira:

- Ingira de seis a oito copos de água por dia. A partir dos 60 anos aumenta a propensão da pessoa ficar desidratada. Deve-se beber muitos líquidos especialmente quando o tempo estiver quente. Esta regra é muito importante. E não espere sentir sede para beber água. A sede não é um sinal que traduza as necessidades orgânicas e, por isso, é importante beber mesmo quando não se tem sede. Beba água ou bebidas não açucaradas, como sucos ou chá;

- Alimente-se a cada três horas, alternando, entre uma refeição e outra, frutas e chás. Realize, por dia, 3 a 5 refeições em horas certas; isto o ajudará a lembrar-se mais facilmente do que comeu e em que quantidade. Não coma demasiado, nem coma coisas que não são necessárias;

- Utilize ervas na alimentação. Use ervas, alecrim, salsinha, coentro, orégano e gengibre, entre outras; Elas são ótimas para acentuar o sabor dos alimentos, além de serem boas alternativas no lugar do sal;

- Não coma açúcar em excesso. Reduza o consumo de doces, bolos, biscoitos e outros alimentos ricos em açúcar para no máximo 2 vezes por semana;

- Reduza as gorduras e os alimentos gordos. Não beba mais do que um copo de vinho ou de cerveja por dia, de preferência ao almoço. Reduza o consumo de carne com gordura aparente, e reserve a salsicha, mortadela, frituras e salgadinhos, para no máximo 1 vez por semana;

- Prefira os alimentos cozidos, pois facilitam a mastigação. Procure sempre variar, devido a estes tipos de alimentos contêm menos vitaminas, sais minerais e fibras. Passe a comer produtos mais macios, como ovos, lacticínios ou papas (feitas de arroz, massas, cereais). Coma alimentos que não seja necessário mastigar, como, por exemplo, sucos de fruta e de vegetais, ou cozinhe o peixe, a carne e os vegetais até ficarem bem macios e depois, se achar necessário, pode esmagá-los ou picá-los. Privilegie também pratos cremosos, como sopas, purês, carne moída, frango desfiado, peixes, panquecas, macarrão, etc.;

- Na terceira idade a visão geralmente está mais debilitada, dificultando a escolha dos alimentos. Neste caso, procure fazer, sempre que possível, suas compras acompanhado. Na escolha, opte por preparações mais coloridas que possibilitem um melhor estímulo visual;

- Aumente e varie o consumo de frutas, legumes e verduras. Coma-os 5 vezes por dia;

- Coma feijão pelo menos 1 vez por dia, no mínimo 4 vezes por semana;

- Faça pelo menos 3 refeições e 1 lanche por dia. Não pule as refeições.

Fonte: Entre na Linha.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>